BEM VINDOS!

Cada dia a natureza produz o suficiente para nossa carência. Se cada um tomasse o que lhe fosse necessário, não havia pobreza no mundo e ninguém morreria de fome.

3 de nov de 2011

[9° ano] Conflitos mundiais - Atividade

Folha de São Paulo:

“Pode-se ainda considerar como um "foco" a questão da xenofobia do Eixo Norte em relação aos habitantes do Eixo Sul que têm lá sua vida, como os braceiros mexicanos no sul dos EUA, a Flórida com os latinos (inclusive os brasileiros), a França com os africanos, a Alemanha com o movimento dos skin heads. O chamado Eixo Norte chama esta população de "Novos Bárbaros".
Definição de Foco de Tensão, adotada pelo World Priorities, instituto independente americano: "...um conflito deve ser caracterizado como guerra quando envolve um ou mais governos e causa mais de mil mortes por ano ..."
Disponível em:

Qual o papel da Geografia no estudo do espaço?
Por que é tão difícil difundir a cultura da paz?
É do instinto humano criar conflitos?
Qual o papel das religiões nesse cenário? Seria correto generalizar os fiéis ou apenas os fundamentalistas?
Por que existe tanta aversão à cultura ocidental por parte do islã?
Será que vivemos mesmo uma evolução, ou um retrocesso por meio do avanço das desigualdades?


Construa uma redação analisando os questionamentos acima e a discussão do tema "Focos de tensão". Você terá tempo suficiente para consultar as fontes necessárias, ler sobre o assunto e relembrar das discussões em sala.

Estruture bem o seu texto. Explore os subtemas xenofobia, fundamentalismo, separatismo e recursos naturais.



Digite o texto no word, fonte 12, margens 2,5. Com essas configurações o mínimo são de 20 linhas. Depois copiem do word e colem nos comentários desse post. Quem não conseguir me envia por email, ou em último caso, entrega amanha na aula.

Prazo para terminar: 17 horas (façam com calma, se enriqueçam sobre o assunto).

Sucesso.
Raffael Saloes.



1 de nov de 2011

26 de ago de 2011

8 de ago de 2011

22 de jul de 2011

[9° ano] Modelos de produção industriais

Fazer uma síntese do artigo abaixo e uma análise do video.

Entrega na próxima aula (quarta-feira), respondido no caderno.

Bom fim de semana.
Prof. Raffael Saloes

http://www.geomundo.com.br/geografia-30108.htm

http://www.youtube.com/watch?v=jdh7Gy5nLko

13 de jun de 2011

[9° ano] Aula de campo - fotos



Clique abaixo para ampliar ou copiar as fotos.
Aula de campo 9 ano 2011

11 de jun de 2011

1 de jun de 2011

[9° ano]Atividade Avaliativa

A avaliação estará disponível entre 13:50 e 15:30. Só serão aceitas as respostas enviadas ate esse horário.

Cliquem no link abaixo e sigam as instruções para a realização da atividade.

Sucesso.

ATIVIDADE


Prof. Raffael

Caso tenham dificuldade em postar nos comentários, poderá enviar a avaliação por e-mail (rsaloes@hotmail.com), mas dê preferência a enviar pelo blog.

As explicações sobre o assunto que tinham que ser dadas, ja foram passadas, portanto em caso de dúvidas na estrutura da questão, coloque a observação na resposta, se for relevante a questão será anula.

Dicas:
concentrem-se na atividade, não se dispersem no msn, conversas, e etc. Saibam administrar o tempo.

22 de abr de 2011

6 bilhões de outros


Seis bilhões de pessoas com opções religiosas, classes sociais, profissões, etnias e estilos de vida diferentes. Com a proposta de montar um retrato da população mundial, a exposição que abre esta quarta-feira (20) no Masp, “6 Bilhões de Outros”, mostra as diferenças e semelhanças entre os povos e os traços de personalidade que caracterizam cada cidadão do planeta.

No site contem um trailer da exposição, vale a pena ver.

http://entretenimento.uol.com.br/ultnot/2011/04/20/visoes-de-mundo-de-6-bilhoes-de-outros-ganham-mostra-no-masp.jhtm

13 de abr de 2011

"A Terra é azul" - 50 anos da chegada do homem ao espaço

No auge da chamada “guerra fria”, na década de 60, entre as duas superpotências de então, União Soviética (URSS) e Estados Unidos, os russos surpreenderam o mundo ao fazer o primeiro lançamento de um homem ao espaço. É célebre frase de Yuri Gagarin ao dizer, maravilhado, “a Terra é azul”. Antes a URSS já havia sido pioneira ao lançar uma cadela ao espaço. O final da história nós sabemos, os EUA venceram a “batalha espacial” ao conseguir colocar o primeiro homem na Lua.

A “guerra espacial” era uma espécie de efeito colateral da “guerra fria” entre o capitalismo americano e o socialismo soviético, na metade do século passado. Foi o presidente John Kennedy quem turbinou o programa espacial dos EUA, colocando como questão de honra vencer os soviéticos nesse campo. E conseguiu.

À época, a extinta União Soviética e os Estados Unidos travavam uma batalha silenciosa para saber qual nação levaria o primeiro ser humano à Lua. Os norte-americanos venceram a disputa em 1969, com o “pisão” inaugural de Neil Armstrong no satélite natural da Terra, mas nos oito anos anteriores, os soviéticos sempre estiveram à frente - inclusive no lançamento do primeiro satélite artificial, o Sputnik, em 1957.

Os Estados Unidos só levariam o primeiro homem ao espaço alguns meses mais tarde, durante a viagem de Alan Shepard no voo da Freedom 7, em 5 de maio de 1961. Porém somente em 7 de fevereiro de 1962, durante a missão Friendship, com John Glenn, o país teve seu primeiro astronauta completando uma volta inteira ao redor do planeta. Ambos os feitos fizeram parte do Projeto Mercury, da agência espacial norte-americana (Nasa).

Com a proeza de Gagarin, os soviéticos confirmaram seu pioneirismo no espaço: haviam lançado o primeiro satélite artificial, o Sputinik, em 1957, e, no mesmo ano, colocaram em órbita o primeiro ser vivo: a cadela Laika. A Vostok-1 foi precedida por dois vôos não tripulados conhecidos como Korabl-Sputnik-4 e Korabl-Sputnik-5, que usaram a nave Vostok para testes.

Gagarin virou um herói soviético após retornar ao planeta que ele observou - pela primeira vez - de fora. Foi poupado de outras missões pelo medo de um acidente encerrar a vida de um dos principais ícones soviéticos durante a Guerra Fria.

Ironicamente, o temor se justificou em 28 de maio de 1968, quando em um acidente ainda envolto em mistério, Gagarin morreu durante testes em um avião MiG.



O Google prestou homenagem nesta terça-feira ao astronauta russo Yuri Gagárin, 50 anos após o primeiro vôo tripulado ao espaço, substituindo o logo da homepage por sua imagem e um foguete que decola quando o cursor é acionado. Num estilo iconográfico, recordando os cartazes da era soviética, o Google substituiu o primeiro "O" do nome do grupo por uma foto de Gagárin com seu capacete espacial e o outro "O", pelo globo terrestre.

Fonte:
http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2011/04/ha-50-anos-homem-chegava-ao-espaco-pela-primeira-vez.html
http://noticias.r7.com/tecnologia-e-ciencia/infograficos/chegada-do-primeiro-homem-ao-espaco-completa-50-anos.html
http://www.blogdomax.com.br/a-terra-e-azul-yuri-gagarin

8 de abr de 2011

4 de mar de 2011

Brasil já é a 7ª maior economia do mundo

O ministro Guido Mantega (Fazenda) disse, nesta quinta-feira que, segundo dados preliminares, a economia brasileira ultrapassou a da França e do Reino Unido em paridade de poder de compra e é agora a 7ª maior economia mundial. Antes, o país ocupava a 9ª posição na comparação em paridade de poder de compra, segundo o ranking do Banco Mundial.

Dois anos atrás, o país estava atrás de Estados Unidos, China, Japão, Índia, Alemanha, Rússia, Reino Unido e França, esta ordem. As projeções preliminares citadas por Mantega ainda não foram confirmadas pelo Banco Mundial.

Entre os países do G20, o crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro foi o quinto maior, ficando atrás de China, Índia, Argentina e Turquia.

Segundo informou hoje o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o PIB brasileiro cresceu 7,5% em 2010. De acordo com Mantega, esse crescimento não sinaliza um superaquecimento da economia. Para ele, os dados mostram que já há um desaquecimento no último trimestre.

Em valores correntes, o PIB alcançou R$ 3,675 trilhões em 2010.

"Isso mostra a capacidade produtiva da economia brasileira, o potencial que vem sendo realizado nesses últimos anos. Mostramos nossa capacidade de crescer cada vez mais", afirmou.

O ministro disse ainda que o crescimento significativo do investimento mostra a qualidade do crescimento brasileiro, já que está havendo expansão na capacidade produtiva brasileira.

"Isso nos habilita a continuar o crescimento nos próximos anos e crescimento equilibrado com mais oferta de produto afastando problemas de abastecimento e de inflação", completou.

O percentual do PIB é o maior desde 1986, quando houve a mesma alta. No entanto, a metodologia da série foi modificada em 1996.

Em 2009, o PIB havia apresentado retração de 0,6% --a primeira na atividade econômica desde 1992.

Com o crescimento mais arrefecido na parte final do ano, o PIB subiu 0,7% no quarto trimestre de 2010, em relação aos três meses imediatamente anteriores. Na comparação com o período de outubro a dezembro de 2009, a economia registrou alta de 5,0%.

FONTE: folha-uol

Economia pujante, construção civil a todo vapor e PIB surpreendendo. Mas se for olhar ao nosso redor, nossas ruas, nossa saúde, nossa educação, nossa qualidade de vida... será que estamos mesmo com cara de 7ª economia do mundo? Menos... bem menos...


Entenda o que é PIB e como é feito seu cálculo

16 de fev de 2011

PIB da China supera o do Japão

Tóquio, 14 fev (EFE).- O Produto Interno Bruto (PIB) do Japão cresceu 3,9% em termos nominais durante 2010, ano em que a China o superou como segunda economia mundial, anunciou nesta segunda-feira o Governo japonês.

O Executivo japonês já tinha descontado no dia 20 de janeiro, quando se divulgou o crescimento de 10,3% da China (US$ 6 trilhões em termos nominais), que o país vizinho o tinha relegado ao posto de terceira potência mundial após 42 anos como segunda economia do planeta.

O valor do PIB nominal do Japão nos 12 meses de 2010 foi de 479,223 trilhões de ienes (US$ 5,74 trilhões).

Entre outubro e dezembro, o PIB japonês caiu 1,1% em taxa anualizada, pela primeira vez desde o período julho-setembro de 2009, e se contraiu 0,3% com relação ao trimestre anterior, informou o Governo japonês.

Essa queda se deve especialmente ao retrocesso de 0,7% no consumo privado, uma variável que representa 60% do PIB japonês e que se viu afetada pelo fim das ajudas à compra de produtos ecológicos e a alta dos preços do tabaco nesse trimestre.

O fim do reinado do Japão como segunda economia mundial acontece em um momento no qual este país tenta pôr freio à grande dívida pública, à persistente deflação e ao risco que representa para o motor exportador um iene forte.

FONTE

9 de fev de 2011

[8° ano] Os idosos e o mundo virtual (telemática)


Estabeleça um comentário sobre a mensagem que consegue perceber na charge e a dificuldade dos idosos se inserirem nas novas tecnologias.
Abraço.
Raffael

[9° ano] 60 Anos da OTAN e os desáfios do século 21

Em 1949, a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) foi criada por 12 nações ocidentais como ferramenta para bloquear o avanço do bloco comunista liderado pela União Soviética. Neste sábado, exatos 60 anos depois, a aliança militar realiza cúpula para discutir como enfrentar as novas ameaças internacionais, sem rosto ou fronteira definida.
Em Baden-Baden (Alemanha), o presidente americano, Barack Obama, liderará uma "discussão substancial" sobre a revitalização da organização, um documento que descreverá como a organização deverá se portar diante das "ameaças do século 21" --o terrorismo, a proliferação nuclear e a pirataria.

A revisão estratégica da aliança militar é parte de um processo de renovação para que a Otan possa encontrar, 60 anos após sua criação e em um contexto completamente diferente da oposição capitalismo e socialismo da Guerra Fria.

Afeganistão

Popular na Europa, Obama é a atração central da cúpula e aproveita os flashes e abraços para trazer, pela primeira vez, seu apelo por maior apoio dos aliados à Guerra do Afeganistão, a primeira ação militar da aliança fora da Europa. Os EUA pressionam os parceiros a aumentar a contribuição em soldados, civis e dinheiro, mas os europeus se mostram resistentes em investir mais em um conflito que, oito anos depois, vive seu mais violento período. Esse conflito vai além dos interesses dos 28 países membros: "A [rede terrorista] Al Qaeda é um fenômeno globalizado que deve preocupar não apenas os EUA e a Otan, como todo o resto do mundo. [...] Nenhum Estado é invulnerável ao terrorismo".

Aliança de essência passiva, a Otan entrou em sua primeira operação militar somente 50 anos depois de sua criação. Foi em 1999 quando comandou a ampla ofensiva ocidental na Iugoslávia com o objetivo declarado de interromper os massacres da população albanesa na Província do Kosovo --conflito que, destaca Gardner, ainda não está resolvido, mas que deve ficar à margem do debate deste sábado.

Ameaça nuclear

Outro debate que não pode ser relegado é a não proliferação nuclear. Obama até prometeu nesta sexta-feira (3) acabar "com todas as armas nucleares no mundo", mas preferiu deixar os detalhes para a cúpula com as potências da União Europeia, neste domingo (5).
Com o esforço de reaproximação dos EUA com o Irã, dono de controverso programa nuclear, e a as expectativas pelo lançamento de um foguete norte-coreano, regime que há quatro anos discute sua desnuclearização, o temor de um ataque nuclear parece tão ou talvez mais iminente que na época da Guerra Fria.

Mas 60 anos depois, a Otan parece não ter solução melhor que aguardar passivamente uma ameaça concreta. "O que a Otan pode fazer? Honestamente? Não muito. [...] A Otan daria apoio diplomático e político a possíveis sanções que as potências membros decidissem individualmente", afirma Justin Hastings, do Instituto de Cooperação e Conflito Global da Universidade da Califórnia.
"É uma decisão difícil atacar um país por ameaça de uma bomba nuclear", afirma Hastings, lembrando das armas de destruição em massa que os EUA nunca encontraram no Iraque. Uma lição que a Otan parece não ignorar. "Se eles já tiverem a bomba fabricada, mesmo assim, há pouco o que se fazer sem ignorar a soberania nacional ou começar uma guerra de proporções imprevisíveis".

Mapa dos países integrantes da OTAN (Clique no mapa para ampliar)



MÁRCIA SOMAN MORAESD - Folha Online 04/04/2009

7 de fev de 2011

[8° ano] Distribuição dos internautas


Clique na imagem para ampliar
Olá 8° ano, como falei em sala, segue o mapa para interpretação e construção da análise.
Abraços, Raffael.
Analise o mapa e construa um pequeno texto sobre a distribuição e acesso a telemática.

Comente sobre as desigualdades resultantes disso. Onde está a concentração? Onde é menos concentrado? Por que?