BEM VINDOS!

Cada dia a natureza produz o suficiente para nossa carência. Se cada um tomasse o que lhe fosse necessário, não havia pobreza no mundo e ninguém morreria de fome.

27 de abr de 2012

Conselhos durante um terremoto


CONSELHOS DURANTE UM TERREMOTO
A ruína nos dá lições de vida.

Desabam prédios no centro da cidade do México num estrondoso terremoto. Racham pias, os espelhos se partem, agua escuras irrompem das paredes e tudo começa a afundar. Na rua os carros balançam igual gelatina, começa uma chuva apocalíptica de vidros e depois tijolos, ferros e pó, até que a morte se esconda sobre os escombros.

Mas a todo instante nos chegam noticias de que bebês sobreviveram seis dias sobre os destroços, casais resistiram amando sobre os entulhos, e outros apesar de desabarem inteiramente com os edifícios, chegaram ao solo inatos.

Então é lícito pensar que, embora muitos pereçam, a ruína nos dá lições de vida. Pois desabam os casamentos, os negócios, a saúde e os regimes, mas não se sabe de onde nem por que milagre surgem forças propiciando resgate e nos livrando do total aniquilamento.

Todos já estivemos e estaremos em algum terremoto. Um terremoto é quando a paisagem nos trai. Um terremoto é quando quebrou a solidariedade entre o seu ponto de vista e as coisas. Um terremoto não é só quando o caos demoniacamente toma conta do cosmos. Um terremoto, eu lhe digo o que é: é a hora da traição da natureza. Ou da traição também dos homens, se quiserem. Um terremoto, minha amiga, é quando como agora você está se separando. Você me diz de soslaio, como que saindo, querendo-e-não-querendo conversar, você vai me dizendo que seu casamento está desmoronando. Você está abaixo da pele, com a voz meio sepultada lançando um grito de socorro, e aqui com a equipe de salvamento lhe posso apenas lançar a frase: a ruína nos dá lições de vida.

Terremoto é a hora da traição do amigo, que invejoso concorre como inimigo e lança fel onde a amizade era mel, e envenena a rima de seus dias sendo Caim em vez de Abel.

Por isto, há que afixar conselhos sobre a hora do terremoto. Como nos abrigos antiatômicos, nas industrias do perigo, há que adiantar as medidas a serem tomadas quando o terremoto vier. Daí o primeiro conselho em caso de tal tragédia: não entre em pânico acima do tolerável. lembre que todo terremoto é passageiro. Porque esse é o sortilégio dos terremotos: nenhum terremoto é permanente, embora muitos e tanta coisa neles pereçam para sempre. Mesmo os mais profundos e autênticos cataclismos não duram mais que pouquíssimos, embora diabólicos minutos. Vai ser terrível mas vai passar.

Outro conselho: embora rápido e fulminante, nada garante que ele não torne a se repetir. Há que estar atento também para o fato de que esse movimento de terra é interior e não exterior. O que desabou por cima não é tudo. É sintoma apenas do que se moveu por baixo. Naqueles terremotos do México, depois do primeiro e do segundo, as agências noticiaram um outro, mas que foi apenas subterrâneo. Diziam: é a acomodação das camadas geológicas. Incômoda acomodação é essa. Mas um terremoto autêntico vem mesmo das profundas e a superfície só vai acalmar quando as camadas geológicas lá dentro se ajeitarem de novo.

Sobretudo, depois do terremoto há que aprender com as ruínas. Porque os engenheiros que me perdoem, mas a ruína é fundamental. É a hora do retorno. E se vocês me permitissem diretamente citar Heidegger, com ele eu diria que a ruína só é negativa para aquele que não entende a necessidade da demolição. Pois a tarefa do homem é refazer-se a partir de suas ruínas. Temos é que catar os cacos do caos, catar o caco da casa, catar os cacos do país. Depois da demolição das fraudes, desmontando a aparência do ontem, poderemos nos erguer na luminosidade do ser. Ruína, neste sentido não é decadência. Ao contrário: é a hipótese de soerguimento.

As ruínas do presente nos ensinam que um terremoto é quando não há mais o centro das coisas. E no México foi o centro, o centro do centro ( a capital, que metem o verde). Já tracejam planos de jardins onde crianças e flores povoaram o amanhã.

Amigo e amiga: terremotos ocorrem sempre e muitos aí perecem. Mas a função do sobrevivente é sobreviver reconstruindo.

A ruína, além da morte, nos dá lições de vida.

Affonso Romano de Sant'Anna
2. 10. 85
fonte:http://rogerio-geografia.blogspot.com.br/

19 de abr de 2012

[9° ano] Globalização: conectando lugares



De que maneira a globalização conecta e interliga os diferentes lugares do mundo por meio do que vemos, lemos, comemos, somos...

Etapa 1: Mapa meu mundo
Construir um mapa conceitual em folha de ofício com lugares e atividades que fazem parte do seu cotidiano, e lugares que tenha visitado. (tentar diferenciar o que faz parte do cotidiano, com o que esteve mais distante)

Etapa 2: Fazer uma lista das principais marcas consumidas no seu dia-a-dia nos mais diversos setores, como alimentício, higiene, vestuário, eletrônicos, entretenimento (programas, filmes, sites), etc.

Etapa 3: Pesquisar no site abaixo o país de origem das marcas.
Localizar e identificar os países no mapa mudo disponibilizado, indicando com um símbolo a quantidade de marcas que se repetirem naquele país.v(consulte um atlas, ou planisfério: http://www.ibge.gov.br/ibgeteen/atlasescolar/mapas_pdf/mundo_planisferio_politico_a3.pdf
Finalizar o mapa título e analisar o resultado por meio da distribuição das sedes dos grandes grupos multinacionais.

Abraço, 



prof. Raffael Saloes

16 de abr de 2012

[9° ano] A Globalização e os avanços tecnológicos


Foi realizado no dia 13 de Abril de 2012, a culminância do projeto “Os avanços tecnológicos na globalização”, realizado pelos alunos do 9° ano e orientados pelo professor de geografia, Raffael Saloes. O projeto apresenta as inovações tecnológicas que surgem a cada dia no lançamento de novos produtos e que fazem parte do nosso dia-a-dia. Esses avanços são condições imprescindíveis para o processo de globalização, tema trabalhado durante toda a unidade e que norteará os estudos do ano letivo. Foi mostrada evolução nos últimos tempos das mídias, câmeras fotográfica, vídeo-games, máquinas antigas como mimeógrafo, datilografia, de costura, projetores episcópio, toca discos entre outros. Os realizadores esperam transmitir aos espectadores o quanto a globalização interfere no cotidiano, dando como exemplo de que antigamente, para se desfazer de móveis e eletrodomésticos, demoravam-se décadas, e hoje em dia, as pessoas trocam seus amparos tecnológicos com freqüência. Isso é a tecnologia tornando o mundo consumista ao extremo.  
Texto: Victoria Knoeller e Ana Luisa Gomes – 9 ano B   




Atividade: Faça um texto sobre a contribuição do projeto e sua participação no mesmo. Enfoque o papel da globalização nos dias de hoje, a comunicação, os avanços tecnológicos, o papel das multinacionais no consumo de suas marcas e a marginalidade gerada pelo processo.


Post nesse tópico, nos comentários. Não esqueça de por nome e turma.

Fotos do evento:
(Clique para abrir o álbum)
Avanços tecnológicos na globalização

12 de abr de 2012

[9° ano] Divisão Internacional do Trabalho - DIT

Clique na imagem para ampliar, e bons estudos.

[8° ano] Formações geológicas sedimentares: Análise a partir do filme 127 horas.

Objetivo: Partindo do cenário do filme 127 horas, analisar o trabalho realizado pela natureza na transformação das paisagens por meio dos agentes externos. Buscar informações sobre o processo de formação das regiões sedimentares e suas feições morfológicas.

Etapas:
- Consultar o site abaixo para descrever o processo de formação das rochas sedimentares. (páginas 106 e 107 do arquivo abaixo).
- Descrever de acordo com a sua observação a paisagem retratada no filme, e posteriormente retiras dos sites abaixo o processo de formação daquelas paisagens.

- Dúvidas sobre algum conceito geológico, consultar esse dicionário geológico:

Ao final, entregar um relatório com as informações obtidas, devidamente separadas em subtítulos para melhor exposição.

Etapa 2: Vocês deverão responder aqui no blog mesmo os questionamentos abaixo:
No filme, quando aparece a pedra no caminho do personagem, é com inevitável eloquência que ele diz que “essa pedra tem me esperado minha vida todas”. Você acredita que algo que acontece em nossas vidas já estava predestinado a acontecer?
O filme também passa a mensagem de que o futuro é incerto, por tanto devemos valorizar aquilo que temos e as pessoas que estão em nossa volta.

Reflita e comente sobre isso.

Entrega do trabalho: Dia 26/04
Bom trabalho,
Prof. Raffael Saloes.


9 de abr de 2012

[8° ano] Dinâmica da Terra

Todo este material vale a pena ser apreciado para consolidação dos estudos da unidade. Aguardo os comentários e dúvidas.


O relevo terrestre pode ser definido como as formas da superfície do planeta. O relevo se origina e se transforma sob a interferência de dois tipos de agentes:os agentes internos e externos.




No youtube podem ser encontrados diversos videos sobre o tema, alguns inclusive em espanhol, mas que são bastante compreensíveis.
Alguns links:
http://www.youtube.com/watch?v=qF7wKnubg1w Documentário da Discovery sobre as falhas tectônicas.
http://www.youtube.com/watch?v=8YC1gzPHC1M Tectônica de placas.


Animações do IBGE sobre a dinâmica das placas tectônicas:


Slide um pouco mais aprofundado sobre o tema:



Bons estudos.

Prof. Raffael.

Filme Tempos Modernos

Trecho do filme Tempo Modernos.
http://www.youtube.com/watch?v=XolZOPk533w

e para quem tiver interesse em assistir o filme completo, vale a pena.
http://www.youtube.com/watch?v=D_kpovzYBT8



Prof. Raffael.