BEM VINDOS!

Cada dia a natureza produz o suficiente para nossa carência. Se cada um tomasse o que lhe fosse necessário, não havia pobreza no mundo e ninguém morreria de fome.

20 de jul de 2009

[7° ano] Avaliação de Geografia

Instruções:
Ø Leia atentamente as questões.
Ø Abra uma pagina do Word e coloque as respostas lá.
Ø Salve o arquivo com seu nome logo no momento em que abrir o Word.
Ø Para evitar perda da atividade em uma eventual queda do sistema, salve o arquivo a cada pergunta respondida.
Ø Ao fim da atividade, copie suas respostas do Word e cole-ás na caixa de comentário no fim da postagem (postar comentário). Ou envie as respostas por e-mail (
rsaloes@hotmail.com).
Não esqueça de por o nome.

Avaliação

1. De acordo com a figura dê os números correspondentes a cada etapa do ciclo da água.

Escoamento superficial ____________
Evaporação ____________
Infiltração ____________
Precipitação ____________
Condensação ____________

2. De que forma o homem pode interferir no ciclo da água? Explique.


3. De acordo com o gráfico responda:


a) Qual a região com maior concentração de recursos hídricos? E com menor concentração?


b) Cite duas regiões com grande população.

c) As regiões com grande população são também as regiões com maiores recursos hídricos? Comente.


4. Leia o texto e responda:

A disponibilidade ou a falta de água já é um fator socioeconômico importante, a começar pela água salgada. Os países que não têm litoral encontram enormes dificuldades para comprar ou vender produtos a outros países.
O sistema mais usado e barato de transporte mundial é por navios. A falta de acesso próprio ao mar atrasa o desenvolvimento de diversos países e os torna ainda mais pobres. Como eles produzem principalmente alimentos e minérios, transportá-los por avião fica tão caro que afasta os compradores em potencial.
Na América do Sul, o país mais pobre do continente é a Bolívia, o único que não tem litoral próprio. Na Ásia, é a República Popular do Laos, um país em que o governo está desenvolvendo um intenso programa para conseguir, até 2025, sair do grupo dos países não-desenvolvidos e tornar-se pelo menos subdesenvolvido.
Todavia, é a disputa por água doce que ameaça gerar conflitos entre as nações neste século.
Com o crescimento da população e das cidades, começa a haver falta de água, tanto para garantir o abastecimento e a saúde da população, quanto para a produção na indústria e no campo.
A escassez ou a contaminação de águas provoca problemas de saúde e conflitos políticos nacionais e internacionais. Os países que estão ficando sem água podem, por exemplo, tentar pegá-la de seus vizinhos, mesmo que, para isso, seja necessário declarar guerra.
A água, hoje, é chamada de “Ouro Azul” do novo século e ocupa, em importância, o espaço que o petróleo teve no século XX. Daí o empenho e a prioridade que a ONU dá ao assunto há mais de 30 anos.

a) Qual a importância do litoral e acesso ao mar destacada no texto?


b) Que setores estão ameaçados caso haja falta de água provocada pelo crescimento das cidades?

c) Que consequência para a futura falta d’água é citada no texto? Você acha que isso pode acontecer? Explique.


5. Estados da Bahia e de Pernambuco são estados nordestinos que estão sob o domínio de qual tipo climático? Assinale alternativa correta.
A - Equatorial úmido
B - Tropical de altitude
C - Semi-árido
D - Subtropical


6. Em qual tipo de clima se encontram os maiores índices de chuvas? Comente.

7. A mEc é a única massa de ar CONTINENTAL que atinge o Brasil, e é úmida, ao contrário das outras massas de ar continentais que são secas. A que se deve esse fato?

8. Justifique a existência de uma vegetação rala e espinhenta, denominada de Caatinga no Sertão Nordestino.

9. Explique como tem sido o tempo em nossa região (Itapetinga) nas últimas semanas. Qual massa de ar influencia nessa situação? Caracterize-a.

10. Cite impactos que são gerados pelo aproveitamento econômico em áreas de:

Cerrado:
Mangue:
Mata Atlântica:
Mata de Araucária:

11. De acordo com o mapa, indique como está distribuída a temperatura das águas dos oceanos e que fator climático influencia nisso.

Sucesso!
Prof. Raffael Saloes